Fogo Amigo


A narrativa de ‘Fogo Amigo’ é pontuada pelo acendimento gradual das velas do candelabro festivo do Hanukah, e acompanha sete dias decisivos na vida de um casal israelense de meia-idade. Yaari, o protagonista, está às voltas com os cuidados exigidos pela doença do pai e as visitas devidas aos filhos e netos, enquanto os uivos lancinantes emitidos pelo poço de elevadores de um edifício ultramoderno recém-construído em Tel Aviv desafiam sua reputação de bem-sucedido engenheiro projetista. Sua esposa Daniela, professora do ensino secundário, aproveita o feriado escolar para viajar até um lugarejo perdido nas savanas da Tanzânia, procurando no silêncio de Yirmiyahu, ex-cunhado decidido a cortar todos os vínculos com Israel, os traços fugidios da presença da irmã morta. Ecoando os guinchos do elevador semiclandestino instalado por seu pai num velho apartamento em Jerusalém, assim como os lamentos das numerosas famílias israelenses dilaceradas pela violência da guerra, os misteriosos ruídos que perturbam a frágil tranquilidade do feriado de Yaari sinalizam a alegorização dos cenários do livro. Nas desoladas paisagens africanas, a ancestralidade arqueológica da espécie humana convive com as sombras do passado da pequena família israelense, perturbada pela morte de um de seus membros pelo ‘fogo amigo’ das forças de ocupação na fronteira da Cisjordânia. Os acontecimentos soterrados na memória de Yaari e Daniela afloram de maneira inusitada, formando uma totalidade apenas resolvida, como numa composição em contraponto, com o esperado reencontro das vozes amorosas do casal.



Saiba Mais


FICHA TÉCNICA

Título Original: Esh Yedidutit

Outros Títulos: 

Etiqueta: 

Colecção: 

Série(s): 

Inf. Web: 

A virtuosidade da arte narrativa de A. B. Yehoshua já é bem conhecida. Os quatro romances de sua autoria publicados pela Companhia das Letras ilustram a maestria de sua vasta produção ficcional, completada por contos e peças teatrais e acompanhada por uma engajada produção ensaística. Em Fogo amigo, seu mais recente livro, a narrativa é pontuada pelo acendimento gradual das velas do candelabro festivo do Hanukah, e acompanha sete dias decisivos na vida de um casal israelense de meia-idade.

Yaari, o protagonista, está às voltas com os cuidados exigidos pela doença do pai e as visitas devidas aos filhos e netos, enquanto os uivos lancinantes emitidos pelo poço de elevadores de um edifício ultramoderno recém-construído em Tel Aviv desafiam sua reputação de bem-sucedido engenheiro projetista. Sua esposa Daniela, professora do ensino secundário, aproveita o feriado escolar para viajar até um lugarejo perdido nas savanas da Tanzânia, procurando no silêncio de Yirmiyahu, ex-cunhado decidido a cortar todos os vínculos com Israel, os traços fugidios da presença da irmã morta. 

Ecoando os guinchos do elevador semiclandestino instalado por seu pai num velho apartamento em Jerusalém, assim como os lamentos das numerosas famílias israelenses dilaceradas pela violência da guerra, os misteriosos ruídos que perturbam a frágil tranquilidade do feriado de Yaari sinalizam a magistral alegorização dos cenários do livro. Nas desoladas paisagens africanas, a ancestralidade arqueológica da espécie humana convive com as sombras do passado da pequena família israelense, perturbada pela morte de um de seus membros pelo "fogo amigo" das forças de ocupação na fronteira da Cisjordânia. Os acontecimentos soterrados na memória de Yaari e Daniela afloram de maneira inusitada, formando uma totalidade apenas resolvida, como numa delicada composição em contraponto, com o esperado reencontro das vozes amorosas do casal.

Considerado pelo jornal Maariv "o mais hábil artesão da literatura israelense", A. B. Yehoshua ratifica, com Fogo amigo, a posição central ocupada na cena literária de seu país, entre figuras como Amós Oz e David Grossman.

 "Um livro sensível e inteligente sobre a diversidade da experiência humana, que irá ressoar por muito tempo na cabeça de seus leitores." - The Washington Post

 "Fogo amigo intercala um retrato do quotidiano de uma família de classe média israelense com uma viagem emotiva e carregada de simbologia para o berço da civilização, a África. Yehoshua integra as duas partes da narrativa com maestria, confirmando sua proeminência na literatura israelense contemporânea." - The New York Times

Fogo Amigo

Língua
Português
Ano de Edição
2010-2019
Gênero
Ficção
País do Autor
Israel